Valdemar Ferreira Ribeiro
...Navegando  nos Mares  do  Sul  ...  Observando  o  Norte
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

ANGOLA - ASSOCIAÇÕES EMPRESARIAIS

Urge a obrigatoriedade de as Associações Empresariais só aceitarem como associados, empresas que apresentem um parecer emitido pelas instituições do governo, nomeadamente Administração Geral Tributária, Segurança Social, Ministério da Indústria e do Comércio, para certificar que são cumpridoras das suas obrigações institucionais.

Caso as empresas não estejam devidamente legalizadas , teriam que ser orientadas pelas associações para se tornarem cumpridoras .

Em cada associação seria oportuno a apresentação, anual, de uma lista dos associados devidamente legalizados e cumpridores perante o Estado , a nível da Provincia .

Uma empresa é uma entidade muito importante para o progresso económico da Nação, e deve apresentar-se devidamente legalizada para ter voz activa dentro da sociedade e assumir mais responsabilidades.

Não faz sentido as Associações empresariais dizerem que têm muitos sócios mas na realidade, a grande maioria desses nomes de pseudo-associados não cumprem com os requisitos mínimos de empresas legais perante o Estado e a Sociedade Civil.

Nenhuma Associação que não seja realmente representativa das melhores empresas pode apresentar-se perante o Governo de forma séria e responsável, pois as Instituições do Governo também sabem ou deveriam saber se uma Associação é realmente representativa.

Para o efeito, é preciso que haja objetividade e rigor na questão associativa.

Uma Associação não pode representar ao mesmo tempo interesses contraditórios .

Uma empresa com foco na saúde pública, não tem os mesmos interesses de uma empresa que apenas deseja vender bebidas alcoólicas ou refrigerantes.

Uma empresa que apenas deseja comercializar produtos cuja qualidade alimentar é duvidosa não tem os mesmos interesses de outra com preocupações sociais e preocupações na saúde pública.

É necessário que as Associações empresariais tenham em conta o interesse particular de cada empresa para poderem aglutiná-las num objectivo comum.

Urge que haja uma representatividade real nas associações e o governo deve clarear estas linhas de orientação .

Em uma das Provincias de Angola dita industrializada , foi solicitada à Direcção Provincial da Indústria, uma lista das empresas mais organizadas , sustentáveis e com as suas obrigações perante o Estado cumpridas.

Esta Direcção Provincial não conseguiu apresentar mais de cinco empresas .

Em algumas das mais importantes Provincias de Angola uma parte do comércio em pequenas ou médias lojas estão sob gestão dos chineses, indianos, libaneses, etc...

Importa referenciar que muitas dessas empresas não estão devidamente regularizadas e não emitem notas fiscais legais e nem fazem parte das Associações empresariais .

Deve haver um esforço para que as empresas façam parte das Associações Provinciais que as representem devidamente pois mais facilmente o governo pode baixar orientações e fazê-las cumprir.

Caso estas empresas não estejam devidamente legalizadas e cumpridoras de suas obrigações, legais , não poderiam ter acesso as divisas para importação de matérias-primas, por exemplo .

Fazer cumprir regras não é obstaculizar o bom funcionamento económico do país, mas sim, ordenar a economia de maneira sustentável e proteger os cidadãos.

É importante que cada Associação empresarial não misture no mesmo saco farinha de qualidade e farinha sem qualidade pois isto , certamente, não valoriza nem motiva as melhores empresas , cumpridoras de suas obrigações perante o Estado e perante a sociedade.

O sucesso das melhores empresas implica no sucesso de suas Associações e vice-versa .

Valdemar Ribeiro
Economista , empresário Industrial e Ambientalista
Valdemar Ribeiro
Enviado por Valdemar Ribeiro em 31/10/2017
Alterado em 08/10/2018