Valdemar Ferreira Ribeiro
...Navegando  nos Mares  do  Sul  ...  Observando  o  Norte
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

ANGOLA SÉCULO XXI - RESGATE DA MORALIDADE

O novo governo angolano decretou a OPERAÇÃO “RESGATE” em toda a Angola, a partir do dia Seis de Novembro de 2018.

Com certeza Angola precisa muito de uma operação de resgate da moralidade perdida nestes últimos anos.

Esta moralidade foi perdida com a conivência de alguns poucos angolanos e das Instituições do Estado e naturalmente pelas guerras coloniais e fratricidas, antes e após a independência.

Antes da independência, o colonialismo era uma imoralidade e Angola conseguiu resgatar-se, com seu sangue, ultrapassar essa realidade e construir a Nação, mesmo diante de herança colonial injusta e exaurida de recursos humanos e de recursos financeiros.

Em Novembro de 2018, o novo Governo angolano liderado pelo Presidente General João Lourenço, necessitou de fazer novamente um resgate de valores morais, após mais de quarenta anos de independência, aonde a população angolana em geral pouco tem beneficiado das enormes riquezas potenciais deste país e apenas alguns ditos angolanos se beneficiaram dessa mesma riqueza financeira.

É preciso muito cuidado e sapiência neste novo resgate da moralidade angolana, por parte das Instituições governamentais, e definirem-se muito bem as prioridades nesta operação, para não continuar a haver injustiça contra os mais desfavorecidas, contra a população em geral, que pouco tem beneficiado das potenciais riquezas de Angola durante estes anos.

Há uma maioria da população que é obrigada a andar nas ruas à procura de um mísero sustento pois além de haver falta de empregos, muitos deles não têm formação escolar alguma, não têm acesso a boas escolas, não têm acesso a bons cuidados de saúde, não têm acesso a boa alimentação, a boa casa, etc...

No meio desta multidão há também muitos bandidos, de todas as raças e camadas sociais e é muito importante que as Instituições saibam separar o trigo do joio e nisto é necessária haver muita sapiência e muito cuidado.

Este dito resgate vai certamente atingir esta maioria populacional desprotegida pelo sistema.

Deseja-se que a operação “resgate” contra a corrupção venha a recuperar os valores morais e financeiros destruídos pela minoria que se beneficiou do sistema financeiro durante estes mais de quarenta anos.

Neste “resgate”, antes de mais é preciso limpar o crime nos bairros, limpar os locais aonde se vendem produtos roubados, limpar os lixos das cidades, impôr a ordem no trânsito, as administrações governamentais dos bairros devem sair de seus gabinetes de luxo e fiscalizarem sem corrupção os locais aonde devem funcionar ordenadamente a economia e as residências.

É preciso verificar se os locais têm dignidade e sanidade, se os bairros têm acesso a água potável e energia, se a energia não anda a ser entregue a chineses e depois revendida por estes aos angolanos mais pobres, se as lojas dos chineses, nigerianos, libaneses e outros, funcionam com documentação legal e se pagam impostos e se cumprem com as regras de sanidade, quais são os angolanos que protegem estes crimes e estas ilegalidades em prejuízo dos angolanos que se esforçam em trabalhar dentro da lei e da ordem, etc.

Mais urgente ainda neste “resgate” é ver a Instituição policial ir ao terreno, em todos os bairros e em todos os horários e desafiarem os bandidos que aterrorizam e atormentam a vida dos trabalhadores e da população em geral , principalmente nos bairros populares e este resgate é o mais urgente.

Após isto, devem as Instituições governamentais resgatar a dignidade dos cemitérios, respeitando-se os mortos, aqueles que deram sua vida por esta Nação, pois sem respeito aos mortos também não há respeito pelos vivos.

Resgatar a moralidade na recolha do lixo nas cidades, vilas e aldeias, resgatar a moralidade da policia, resgatar a moralidade dos serviços públicos, resgatar a imoralidade de se ver responsáveis do governo, em todas as Províncias, roubarem o dinheiro das merendas escolares e dos salários dos professores exauridos e com isso muitas crianças morrerem de fome e falta de saúde, etc...

Resgatar eliminando-se a construção de bairros anárquicos, resgatar o saneamento básico nos novos bairros, resgatar a economia nacional apoiando devidamente as empresas nacionais de qualidade e que já labutam e sobrevivem nesta difícil economia angolana.

Antes de se tomarem medidas contra as populações que ganham seus sustentos em locais impróprios, é necessário que o Governo crie as condições mínimas sociais no sentido de voltar a haver moralidade publica e depois então ordenar às populações que funcionem apenas em locais de trabalho próprias e obtenham seu sustento com dignidade e sanidade.

É preciso fazer esta operação de resgate com toda a dignidade e saber definir as prioridades das ações dos organismos que as vão executar e desse modo o novo Governo angolano, bem intencionado, pode resgatar sua credibilidade e sua moralidade e certamente então a população, com o bom exemplo institucional, fará o mesmo e dará mais apoio a esta iniciativa muito importante.

É o que se deseja.
Valdemar Ribeiro
Enviado por Valdemar Ribeiro em 02/11/2018
Alterado em 08/11/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar autoria de Valdemar Ferreira Ribeiro e o site www.valdemarferreiraribeiro.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.