Valdemar Ferreira Ribeiro
...Navegando  nos Mares  do  Sul  ...  Observando  o  Norte
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

ANGOLA - UMA ECONOMIA IMPOSTA PELO FMI
Na primeira semana de Julho de 2019, ouviu-se e viu-se nas televisões angolanas, o representante do FMI a afirmar, com todas as letras, que Angola não pode subsidiar sua economia, principalmente no câmbio, nos produtos derivados do petróleo, na energia e nas águas.

Justificava este representante do FMI que as empresas angolanas e as pessoas em geral já podiam ir aos bancos comprar divisas, transferir kwanzas para moeda estrangeira e importar mercadorias com muita facilidade, sem filas nos bancos e sem burocracias.

Gostariamos de saber aonde este representante do FMI vive, em que planeta está,  pois no caso de nossa empresa, estamos há meses para conseguir transferir valores para pagamento de inputs para nossa  empresa e até agora ainda não conseguimos e se precisarmos de transferir normalmente divisas por alguma outra razão, ficamos à espera meses.

O FMI é um entidade internacional sediada em países do primeiro mundo e, muitas vezes, seus representantes, pessoas, desconhecem os outros mundos e, numa atitude de especialistas, pura e simplesmente determinam regras genéricas económicas, justas  ou injustas, equilibradas ou não a cada país que lhes solicita socorro.

As regras económicas que o FMI quer impor quando os países recorrem a ele, são regras genéricas, não são regras especificas para cada país e por isso, os países devem adaptar estas regras às suas especificidades.

Não podem estas regras serem aplicadas linearmente a todos os países, sem adaptações às suas particularidades.

Angola, como uma economia informal, pouco formal, não funciona da mesma forma como as economias mais desenvolvidas, até porque não tem recursos humanos suficientes e capazes para tal, simplesmente.

Moçambique, uma economia com semelhanças a Angola, impôs o IVA em seus país, mas Moçambique até hoje continua a ser um dos países menos desenvolvidos e informais do planeta ou seja, simplesmente aplicarem-se novas regras económicas ou outras, não cria desenvolvimento.

Cria-se desenvolvimento, quando as regras são justas e equilibradas e adaptadas a cada realidade-

Quando um representante do FMI faz tais declarações públicas ou privadas, deveria pensar que do outro lado estão algumas empresas que labutam com as melhores das intenções na construção de uma nação mais desenvolvida e estão cidadãos, podem não serem muitos, que são esclarecidos e éticos e estas afirmações do FMI ofendem pelo seu manifesto desprezo de uma economia real, angolana e africana e pelo seu manifesto desconhecimento da nossa realidade económica e social.

Podem citar-se muitos exemplos no mundo aonde algumas entidades internacionais, incluindo a ONU e seus representantes, têm sido um mau exemplo.

O Governo angolano deveria ter uma posição mais esclarecedora sobre a economia que pretende, uma atitude menos pretensiosa, deveria sujeitar-se a uma sabatina publica feita pelas melhores empresas nacionais, pequenas e médias, uma sabatina feita por quem faz e não por


especialistas teóricos, pois talvez assim pudesse perceber quais as melhores politicas económicas, mais justas e equilibradas e optar pela melhor.

O Governo, o executivo económico e politico, não deve simplesmente aplicar medidas impostas por terceiros, de forma simplista, desconhecedora da realidade local de cada um e desconhecedora de uma economia mais correcta.

Há quer ter mais cuidado e respeito para não melindrarem as empresas angolanas mais exemplares  e os cidadãos mais esclarecidos, que desejam uma nação mais desenvolvida.  
Valdemar Ribeiro
Enviado por Valdemar Ribeiro em 07/07/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar autoria de Valdemar Ferreira Ribeiro e o site www.valdemarferreiraribeiro.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.